“Tratar um objecto de iluminação como uma imagem que se revela pela luz, originou uma série de candeeiros onde as formas usadas na sua história lhes dão a configuração. O uso de imagens do quotidiano reenvia ao imaginário de cada um, às suas relações afectivas, aos seus sentidos, e ganham a forma que a luz lhes confere. A escrita de nomes permite ligar estes objectos de LUZ aos espaços singulares e íntimos que lhes são destinados.

Candeeiros, objectos de luz a partir do nada”

-Dina Queirós e Estela Gomes

 

Sábado às 16:30 – 19:30